Li

Google+ Followers

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

APROVAR OU REPROVAR? Eis a questão...


 Antes de me queimarem em praça pública, preciso gritar aos 4 cantos que sou contra a REPROVAÇÃO. Principalmente, a reprovação pela reprovação. Aquela que alguns professores sentem o prazer de fazer, simplesmente para vanglória ou como punição.

Mas antes de riscarem o fósforo, preciso confessar meus pecados pedagógicos... não todos, claro, porque senão, o ass...
unto em questão acabaria por aqui. Mas, dentre todos, necessito dizer que também já fui assim, em meu passado não muito distante! E posso afirmar por inexperiência própria, que os meus motivos eram apenas triviais. Ou seja, pelo simples prazer de estar no ranking dos professores que mais reprovavam. PARA QUÊ? Só para desejar ser a prof.ª malvada, por necessidade de autoafirmação, por birra, porque havia me "contaminado" com o mau-humor dos professores considerados elite branca!

É que a gente sai da faculdade com aquele vontade imensa de mudar o mundo, mas de repente você vem para o mundo real e percebe que as pessoas que estão ali, não querem mudar nada. Que o melhor é ficar reclamando pelos corredores, ou ao pé do ouvido para ninguém escutar, mas todo mundo ficar sabendo -, o chamado telefone sem fio! Quem atende? Sinal de ocupado, porque todos estão na linha!

Sabe por que sou contra a reprovação? Desde o dia que entrei na faculdade de Letras na Univille e inocentemente descobri, que eu não teria nunca mais na vida, aulas de matemática!!!! Porque na minha cabecinha de adolescente, eu teria todas as matérias que tinha no Ensino Médio. Quando a primeira semana se passou e recebi os horários das aulas e disciplinas e testifiquei que não veria mais números na minha frente (exceto a classe gramatical numerais, rsrsrs), eu me senti como uma criança, que acha um pote de doces escondido no armário.

E aqui estou eu, sobrevivendo há 10 anos sem matemática, física e química, que sempre foram as pedrinhas em minha conga azul marinho. Ninguém é bom em tudo. Não seremos nunca aprovado em tudo, mesmo sendo bons naquilo que fazemos.

Eu gosto de escrever. Escrever é minha transgressão maior. É a minha liberdade sucumbida nos gritos, sussurros e silêncios das minhas palavras. Mas há textos que não são aprovados pela maioria e há aqueles, que são reprovados pela minoria. E vice-versa!

Enfim, mas quando falo de Educação, não tem como eu não me remeter ao Claurinice Vieira Caldeira, porque foi lá que tudo começou. Lá foi minha base. Se escrevo sem medo e totalmente livre de mim mesma, é graças a esse passado bem passado. Lembro-me da minha primeira e última nota baixa, que foi na 2ª série do primário; um 4 em matemática com a prof.ª Ângela Lazalla, um doce de professora. A ela devo também a minha letra bonita, que me fazia escrever em seus cadernos de caligrafia. Obrigada, tia Ângela! Era assim que a chamávamos! Por causa desse 4, apanhei uma surra inesquecível! Obrigada, pai! Essa surra veio no momento certo!

Hoje o aluno tira nota 4, além de rir, amassa e joga no lixo. Mando-lhe no mesmo momento, busca-la no lixo e trazê-la assinada pelo responsável. Depois de 3 a 4 dias aparece a prova assassinada. Após uns burburinhos da turma, mais risinhos, conclui-se que a assinatura é falsa! Chama-se a mãe e a mesma promete uma lista de punições: sem celular, sem vídeo game, sem futebol, sem ajuntamento, sem ..., sem... Uma semana depois? (risos)

Como diziam os antigos: "tem gente que não vai e não se ajuda!"

No frigir dos ovos, a culpa é sempre do professor! Primeiro, somos pagos para ensinar. Fato! Mas se o aluno não aprendeu, ou seja, REPROVOU, a culpa é de quem ensina ou de quem não aprendeu? Ou melhor, ou pior, de quem não quis aprender? Mas não quis aprender por quê? Desmotivação é a bola da vez! Desmotivado por que a aula não é show? Desmotivado por que o/a professor(a) não é show? Desmotivado por que tudo é desmotivador(a)? Mas o que é uma aula show? O que é ser desmotivador?

Eu não sei... e não saber me liberta para poder escrever. Não saber das coisas é meu pecado. Não ter as respostas, é provar do mel que escorre das palavras.

Lilian Flores

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

SALTO ALTO E CINTA-LIGA

Sei que não sou a filha perfeita, a mãe perfeita, a mulher perfeita, a amiga perfeita, a cristã perfeita e nem tão pouco, a professora perfeita...ufa! Tenho zzzilhões de defeitos, mas tenho certeza também, que minhas qualidades ficam bem além deles.
O que me irrita na IDUCAÇÃO, não são os ficam de braços cruzados vendo a banda passar; nem  os que fingem que não estão com os braços cruzados... Mas são àqueles que além de não fazerem nada por nada e por ninguém, ainda denigrem o trabalho alheio e da pior maneira possível, pelas costas. Só faço um desafio para aquele que fizer o que eu faço em sala de aula e nos projetos paralelos que coordeno (leitura, teatro e patrimônio), que faça o que eu faço, de SALTO ALTO E CINTA-LIGA, porque daí sim, tiro o meu chapéu!!!!
Por que tiro o meu chapéu? Simplesmente porque confesso que não consigo usar salto alto com a facilidade que algumas almas por aí conseguem. Como a maravilhosa, e poderosa, e chiquetosa minha amiga Elaine Cristina. E detalhe, ela não anda de salto, ela desfila, na maior perfeição!
Sou adepta das rasteirinhas, sapatilhas, plataformas (que quase não se usam mais), chinelos, tênis, pés descalços na areia, na grama, na madeira, no piso... Salto alto é só para grandes eventos, que quase nunca surgem, pra minha alegria!
E cá entre nós, cinta-liga é algo nada confortável também. Pra mim, ambos são enfeites desnecessários para o dia-a-dia. Perdem a graça e a beleza da surpresa, quando usados todos os dias e noites. Eu curto aquele olé que a galera da escola faz na sala dos professores, quando a prof.ª de Ed. Física (Jennifer, Sandra, Dalva) não veem de tênis em um dia de reunião etc... É mais ou menos esse efeito surpresa que estou falando. Capisco?
Caracas véio! Eu ralo pra dedéu. Minhas aulas atividades, são preenchidas em auditório, ensaiando peça teatral, ou cuidando da praça de leitura (catando tiririca, plantando, colhendo, selecionando livros, pintando pneus...) ou levando meus alunos para dar uma aula de patrimônio cultural no Museu do Mar, entre as atribuições paroquiais de corrigir, planejar, etc...
E aí vem certas JENTINHAS menosprezar e desmerecer o seu trabalho, dando de ombros, ou nem aí. E ainda tem aqueles que querem a cópia dos nossos projetos. Dizem que é para arquivo, será?
Aliás, será que o fazer educação é apenas para bonito? Para arquivo morto? Porque cá entre nós, em matéria de discurso tá cheio de gente dando palpites, opinando, sugerindo...mas meter a mão-na-massa...

Lilian Flores

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

POESIA PURA OU PURA POESIA?


Não sei o quero escrever.
Só tenho certeza do que não quero escrever:
POLÍTICA!...

Quero a palavra solta, livre dos versos e das rimas
Que são algemas para os sentidos...

Só sei que quero o querer querido por todas...
E sei não quero ser a querida que não quer:
NINGUÉM!
Quero o silêncio da euforia, livre dos gritos d'alma abatida
Que geme, sonha, sussurra e espera sempre...

Só sei que tenho certezas incertas.
E que sou óbvia e efêmera quando:
ANOITEÇO!
Quero a poesia das palavras comedidas,
Que dançam balé nos verbos de um anônimo poeta.


Lilian Flores

IDENTIDADE


Para uns, documento; para outros referência e referencial. E eu acredito que identidade é mais que um documento, que simplesmente informa dados de origem, filiação, datas, etc.
Pra mim, identidade é aquela que diz quem eu sou, através do olhar, do falar, do agir, do sentir... informações que gritam aos 4 cantos, sem ter que comprovar a veracidade! Tipo assim: ela só podia ser de São Chico mesmo; com essas pequenas rugas no canto esquerdo e direito dos olhos, só podia ter 35 anos; e com essa petulância e bravura, não nega ser filha do Canta e da Sandrinha.
É verdade sim, que nasci em São Chico e sou daquelas bem manézinha da Ilha, que prefere chinelo a salto alto; que prefere berbigão a frango; que prefere camarão a alcatra; que prefere preferir do que se abster.
É verdade também que nasci para adorar a Cristo para todo sempre e que minha identificação não são saias longas, cabelos longos, sem maquiagem, sem brincos, sem, sem, sem... pelo contrário, minhas orelhas sem brincos é aquela sensação de nudez; meus lábios sem gloss ou batom rosa, é uma sensação de garganta seca; meus cabelos sempre pelos ombros, é uma sensação de frescor, nunca tive longas madeixas porque essa sensação de que acabei de sair do banho é boa demais para ser substituída; as saias e vestidos longos eu gosto, mas sem obrigação, gosto por simplesmente gostar; porque elas deixam as pernas livres, os joelhos soltos, o tornozelo a mostra, o calcanhar leve... Sou Cristã sem estereótipo de crente, com muito orgulho!
É verdade que nasci no dia 9 de maio de 1979, a meia-noite e 2 minutos, e que esse mês é considerado o mês da família em nossa igreja; das noivas e das mães por aí e por aqui.
É verdade também que sou filha do Cantalício Flores Neto e da Sandra Regina Machado Flores e que eles são meus principais referenciais e que tudo que me ensinaram, guardo em minha memória intelectual e afetiva.
É mentira dizer, que falo pouco, (os calos nas cordas vocais não são em vão); que sou magra; que não tenho personalidade; que sou fútil; que leio pouco; que sou mentirosa...
É verdade que sou professora de Língua Portuguesa e contadora de histórias e esses são um dos motivos, pelo quais falo muito, escrevo muito e leio muito.
É verdade que troco qualquer programação, exceto culto, por um bom livro e por uma boa história, não necessariamente na mesma ordem.
É verdade que digo a verdade, doa a quem doer e que por sem assim, já perdi pequenas amizades e pequenos amores, porque se fossem grandes, prezariam a VERDADE
!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

MÃE LEOA




Quem me conhece, sabe que há 13 anos atrás quando estava na Univille, tive um encontro especial com a escritura intimista de Clarice Lispector e decorei alguns trechos de seus livros e com eles, enchia o saco de todo mundo recitando-os desesperadamente. Claro, que quando engravidei, minha filha não poderia ter outro nome, senão Clarice.
E tem um trecho de um de seus livros, (Uma Aprendizagem ou o Livros dos Prazeres), que Clarice escreveu, e é meu favorito: "Pedi socorro e ele não me foi negado. É como se eu fosse um tigre ferido com uma flecha fincada na carne. E tivesse rondado as pessoas medrosas para ver quem me tiraria a dor. E este homem, o meu homem, Ulisses, sentiu que um tigre ferido não é perigoso, e se aproximando, sem medo de tocar-me, retirou com cuidado a flecha fincada”.
É que ainda pouco, ao abrir minha caixa de email, vi a resposta de meu socorro! Apesar do trecho acima se remeter a um homem, que a "salvaria" de sua solidão, esse email não é que o que vocês estão pensando. Não é uma declaração de amor, mas era justamente o que eu estava esperando: O MEU SOCORRO ATENDIDO, MAIS UMA VEZ!
Quem lê minhas crônicas imagina que a Secretária de Educação do Município, Mara Lúcia Moreira Jasper, me odeie! Mas tenho absoluta certeza, que ela tem momentos de ódio, assim como eu também os tenho! As pessoas as vezes podem confundir ser de estar. Como profª. de Port., explico que os dois são verbos de ligação e que apresentam estado. Pra mim, o verbo ser, tem sentido de estado perpétuo, já o estar, tem sentido de verbo de estado passageiro. Ou seja, "ser professora", é diferente de "estar professora"!
Com todas as minhas forças e com todo o amor que dedico à escola e aos meus alunos, posso afirmar que eu SOU PROFESSORA e não apenas, ESTOU professora. E respostas como o email que recebi da Secretária, além de terem me levado às lágrimas, me dão mais orgulho de pertencer a esta classe de "mestres do saber".
Esse meu SOCORRO não foi o primeiro. Quando estava efetiva pelo segundo ano na prefeitura, fui dar aula para uma turma que era uma situação atípica no município. As reclamações ficavam apenas nos corredores e sala dos professores, mas a grande realidade é que ninguém conseguia dar aula pra eles. E eu particularmente, não conseguia!! Tentei recitar poemas, contar histórias, trabalhar com revistinhas em quadrinho, charges de jornais, etc...NADA prendia a atenção. Pra mim, aquilo não era normal, pois em todas as salas que passei, quando eu começo com: "era uma vez..." a galera já esbugalha os olhos.
Enfim, ali isso não acontecia e me angustiava demais, ao ponto que em meados de abril, protocolei minha redução de carga horária, e a Secretária veio pessoalmente na outra escola que eu trabalhava, saber o motivo pelo qual queria sair. Expliquei os porquês, e ela acreditando mais em mim do que eu mesma, não aceitou a redução e ainda perguntou-me o que eu queria que fosse feito? Parecia FADA-MADRINHA, exatamente como acabei de ler seu email. Após os combinados, ela foi assistir a minha aula e constatou que eu não havia mentido ou exagerado. "Realmente não tinha como acontecer o ensino e aprendizagem naquela turma". Foram suas palavras naquela manhã de maio de 2011, que lavaram a minha alma angustiada. Chamou a direção e pediu que fossem tomadas as devidas providências: como palestras, ajustes estruturais, conselho tutelar, reunião de pais entre outras medidas de âmbito MACRO. Não solucionou totalmente os problemas, porque na verdade, as ações diárias de prevenção, de retaguarda, não diz respeito a Secretaria mesmo, mas sim in loco, (MICRO). E aí camarada, já Elvis...como dizem por aí!
Depois, novamente ela me socorreu em uma situação que não diz respeito a estrutura e nem a alunos, mas de gestão. Uns nasceram para ensinar (como eu); outros nasceram para administrar bens (somente os meus e porque sou obrigada); outros nasceram para gerenciar pessoas (digamos que dou conta do recado); outros conseguem executar essas 3 habilidades com dificuldades, outros com destreza... E aí você assume um cargo e não tem habilidade para tal? Até logo, porque você pode conseguir mascarar esse seu déficit por um ano no máximo, depois...já Élvis!
Enfim, quinta-feira será um novo amanhecer. Um amanhã com sabor de esperança, com cheiro de justiça, com jeitinho vitória.
Obrigada Deus! Obrigada professora, mãe e Secretária de Educação por ter se colocado em meu lugar. Por ter me ouvido, por ter me lido, por ser essa pessoa tão COMPETENTE, JUSTA, PARCEIRA, ADORÁVEL, MAS AS VEZES, ODIOSA. (risos) Como a sra. sempre diz: "Nem Jesus Cristo que era perfeito, conseguiu agradar a todo mundo mesmo..." DESCONFIO, que temos uma "qualidade ou defeito" em comum: somos duas mulheres que não temos a mínima vontade de querer agradar ninguém. Se agradamos, é sem querer querendo! rsrsrs
Quem realmente me conhece, sabe que não tenho motivos para "puxar-saco", mas que sou uma pessoa que preza pela verdade e pela justiça. E verdades sempre terão que ser ditas, mesmo que as vezes elas provoquem dor ou ódio. Meus pais sempre me recitavam uma frase, que decorei e a guardo não apenas em minha memória, mas em meu coração e tento sempre coloca-la em prática: "Antes uma AMARGA verdade, do que uma DOCE mentira".
Porque podem mexer com a gente, pois temos igualdade de força, inteligência, maturidade, responsabilidade...SÓ NÃO MEXAM COM O FILHO DA GENTE! Viramos LEOAS!!!!

Lilian Flores


domingo, 12 de outubro de 2014

ELEIÇÕES PARA O SINDICATO DOS SERV. PÚBLICOS DE SÃO CHICO


ELEIÇÕES PARA O SINDICATO DOS SERV. PÚBLICOS DE SÃO CHICO
Quem eu votei? Sou sincera em dizer que fiquei entre a CRUZ e a ESPADA. De um lado, o pedido de voto de uma irmã em Cristo e do outro, o pedido de um grande amigo de trabalho.
Antes mesmo do  Raul Francisco Macedo anunciar que seria candidato, meu amigo Geovani Macedo, já havia me antecipado a notícia e assim, pedindo meu voto. E é claro que eu disse sim!
Depois da campanha lançada, Eliane pediu-me seu voto e eu respondi, que votaria no candidato que não fosse o que o prefeito apoiasse. Então, ela disse: "é a nossa Chapa!" Na hora disse que votaria nela, pois tinha o pré-requisito que eu havia estabelecido como melhor, apesar de eu ser totalmente contra a reeleição.
Mas enfim, durante a semana toda fiquei nessa encruzilhada. De um lado, eu tinha a promessa da luta em nossa defesa e do outro lado, um plano lindo, mas com a prerrogativa do prefeito. Ou seja, aquela dúvida cruel: será que o homi vai permitir? Porém, havia a promessa também de que, apesar do apoio que tinha do governante, se os interesses do servidores fossem violados, o Chico se posicionaria contra o poder. Como aconteceu com a atual gestão, que foi eleita através do apoio do Excelentíssimo, mas bravamente, se posicionaram contra, assim que tentaram violar direitos. É isso mesmo que deve acontecer... Não importa quem apoie, você não pode se sentir refém do mesmo. Penso que apoio, é algo voluntário ou pelo menos deveria ser.
Mas quem eu apoiei? Ninguém! A minha voluntariedade ficou muda para não prejudicar nem um e nem o outro. Se apoiasse Eliane, criaria um clima desarmônico em meu ambiente de trabalho e também, se apoiasse o Chico, criaria um clima desarmônico na igreja, na qual congregamos.
Em quem votei? Preciso desabafar e dizer: que por laços de amizade, decidi votar no Macedo, mas também confesso, que fiquei na torcida interior, pela Eliane Curvello. Porque sei que ela tem peito para enfrentar as milícias do autoritarismo que reina em nossa cidade. Não que o Chico não tenha, mas ele estava do lado de lá, e no fim das contas, isso pesa na balança.
O ruim de você ficar em cima do muro, é porque acaba não se sentindo a vontade para colocar uma camiseta, um adesivo no carro, nem mesmo curtir e comentar um post no facebook,etc..Isso provocou-me uma angústia horrível, da qual não quero nunca mais sentir.
Por outro lado, fiquei pensando e imaginando, a quantidade de gente que senti isso... Pois, a grande maioria não se posiciona pra nada na vida. Leva essa rotina de viver construindo uma moradia em cima do muro, sentindo-se confortavelmente nessa vidinha +ou-!
No frigir dos ovos: a sensação é de que deixei meu voto em branco; talvez, teria sido a atitude mais sensata? Não sei! Fiz o que meu coração mandou!


Lilian Flores

Lilian Flores

terça-feira, 30 de setembro de 2014

TAMBÉM FIQUEI BEGE!!!

Hoje eu também fiquei bege, Profª Marília. Bege com a fluidez da leitura do palestrante japonês. Bege com a quantidade de slides intermináveis. Bege também com a quantidade de professores presentes a tarde toda, firmes e fortes...ou quase firmes e quase fortes! Como quem me conhece, sabe que eu sempre gosto de fazer algum curso, de preferência um bom curso. Mas, como não se consegue prever se é bom ou não, a gente acredita e comparece, levando no peito a esperança de encontrar respostas. E acredito que eu não seja a única que pense assim...
Mas como disse na última crônica, a respeito do outro curso, a gente sempre consegue tirar algo de bom num encontro como esse, como por exemplo encontrar amigos e rir da vida; das gafes de uma certa professora de português bocuda; das leis que o Romeu citou e que não são cumpridas em sua completude e seria utopia, pensar que um dia se cumprirão; da mudança dos nomes com a intenção de diminuir preconceitos, mas que no fritar dos ovos, o preconceito não está em si na palavra, mas no modo como elas são ditas. Palavras essas, que apesar do conceito diferente em que cada uma recebe hoje, como doença mental e deficiência intelectual que são "quase" sinônimas. Claro, quase...mas não são!
Enfim, depois de quase tonta com o recital de leis, teve algo que me deixou mais bege hoje. Foi saber que uma grande amiga de trabalho, foi insultada e humilhada em um "conselho de classe" e que fique claro aos navegantes, não foi na minha escola. Óbvio!
Como óbvio? Simples, primeiro porque minha diretora é educadíssima, fina, culta, inteligente e uma pessoa inteligente sabe que tal atitude é um tiro no pé!
Mas fiquei ainda mais bege, ao saber que ninguém se levantou para defende-la! E até imagino porque não fizeram. Talvez porque a agressora esteja em uma situação de liderança e por estar em uma situação de "destaque", provoque aquela sensação de: se eu falar, quem vai se ferrar? Mas que medo é esse que faz as pessoas ficarem mudas? Será o privilégio de sair uns 15 minutos mais cedo? Ou receber aquela falta justificada sem o devido atestado, para ganhar o prêmio assiduidade no final do ano? Ou  será que será, como diz o grande Chico Buarque? Não sei! Mas imagino que tenham muitos outros serás!!!!
Depois de fiquei bege com a afirmativa da prof.ª Marília, ao indagar o Romeu sem Julieta, dizendo que tudo o que estava falando era fora da realidade. Nesse momento, ela foi aplaudida por mim e por todos os professores conscientes da realidade do dia-a-dia da sala de aula; na certa, esse foi o momento clímax dessa tarde nublada. E que venham outras tardes e manhãs nubladas ou ensolaradas com cursos bons ou ruins, porque sempre se extrai algum mel do favo.
E o desfecho final? Esse foi tão bom quanto o clímax... O Romeu, quando disse que não podia perder o avião com destino à Julieta... nossa! Realmente foi o auge! Shakespeare na tumba e toda a sua plateia de literatos e pseudos-literatos, tudo junto e misturado, aclamaram o fim da tarde...sem lágrimas, sem dor e sem cicuta. Graças a Deus!

Lilian Flores

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Ensinar, ensinar a ensinar+aprender, aprender a aprender...

Hoje, há quase 9 meses do ano letivo, a Secretaria de Educação pariu um curso, para capacitação dos professores do Ensino Fundamental II. O curso nasceu, esperamos que o bebê cresça. Não vou dizer que foi uma experiência ruim, porque estaria mentindo, no entanto, não foi a 8ª maravilha do mundo!

Pelo menos desta vez, o professor tinha experiência de sala de aula e principalmente, em escola pública. Não é aqueles cursos que você sai levitando e supermotivado, com milhões de ideias novas... como aconteceu comigo com a Roberta, Andréia, Geane, tantas outras professoras que estavam lá no PROLER, curso promovido pela Univille, na segunda feira passada. Onde todos os mestres Contadores, Escritores, Pensadores e (en)cantadores de Histórias nos encantaram e nos convidaram ao encantamento. Pois, acredita-se que o aprendizado acontece quando nos sentimos encantados pelo professor que transmite o conteúdo de uma forma encantadora.

Por outro lado, ele foi honesto: não fez carinha de melhor professor do planeta terra, nem tão pouco comprou os nossos apelos saudosistas. E foi bem claro, o curso é para o professor e não para o aluno. Contudo, porém, todavia... nas entrelinhas, o discurso é sempre o mesmo: NÓS SOMOS OS SALVADORES DA PÁTRIA E TAMBÉM OS CULPADOS PELAS MAZELAS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA.

De tudo o que foi compartilhado hoje, além das informações que nossos alunos precisam ler 90 palavras por minuto, algumas técnicas de concentração e os modelos de registro do conteúdo aprendido, afim de melhorar o nosso IDEB; o que ficou na minha memória afetiva, é a frase de que devemos, "Ensinar, ensinar, a ensinar e aprender, aprender e a apreender."
Parece uma fase óbvia e comum, mas não é! Pelo menos não pra mim. A repetição do verbo ensinar, ela provoca uma inquietação no sentido de NÃO DESISTIR e nos convida a desafiar nossos alunos a serem professores também (ENSINAR, ENSINAR A ENSINAR). Ensiná-los a ensinar.

Já a repetição do verbo aprender, é ainda mais desafiadora, pois ela nos coloca no lugar de ALUNO pra sempre! E também nos convida a mudar, ou seja, a estarmos atentos aos aprendizados corriqueiros e também complexos.(APRENDER, APRENDER, A APRENDER)

Apesar do curso em suas entrelinhas, cair naquele discurso comum, ele trouxe práticas pedagógicas ou "metade da receita", como o Profº Gustavo afirmou e princípios matemáticos para "medir o aprendizado", entre outras meias-receitas.

Depois do curso, a caminho da creche para buscar minha filha, fiquei confabulando com o volante do meu carro: ENEM e PROVA BRASIL são os norteadores e termômetros para medir aprendizagem? Pelo jeito sim...

RESUMO DA ÓPERA: SOMOS TODOS NÚMEROS! O aluno é o consumidor, o aprendizado um produto na prateleira, a escola a loja de conveniências e nós professores? Um balconista, um atravessador, um contrabandista, um atacadista, um sacoleiro, um camelô...

Lilian Flores

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

COXINHA COM MAIONESE E COCA-COLA: SERVIDO?

Eu bem que queria ser COXINHA, mas falta-me CORAGEM!!!!! Pra ser COXINHA DE VERDADE precisa de muita coragem... Coragem pra fazer sempre cara de paisagem. Coragem pra dizer sempre sim ou quem sabe? Coragem pra vc colocar a MÁSCARA de COXINHA. Coragem pra ser quem vc não é!

Falo isso de cadeira, porque já fui uma COXINHA! Aliás, durante todo o meu estágio probatório, eu confesso que fui COXINHA. Mas agora, graças ao fim desses intermináveis 3 anos, totalmente alforriada; agora eu estou livre dessa GORDURA TRANS que cercava minha alma... (risos)

Mas quem é COXINHA? Vixe tá cheio de gente assim... o pior é que como já fui COXINHA, conheço de ponta-a-ponta a cartilha de uma COXINHA. Ou seja, farejo COXINHAS a km de distância.

A questão não é vc ESTAR COXINHA é vc SER COXINHA!!! Aquele tipinho, que vem e bate nas costas da gente, elogiando nossa atuação e nossa capacidade de dizer o que pensamos. Mas, só faz isso, nada além disso.

Acreditem, eu gosto de perder o meu tempo aqui no computador, somente para ler, ESCREVER CRÔNICAS quando se fazem muito necessárias, até hoje, acho que escrevi umas 6 ou 7, assistir vídeos que eu julgo interessante e curtir os comentários e debater assuntos que não posso deixar passar desapercebidos. Antigamente eu curtia Orkut, MSN, Badoo, fóruns, fuçar blog's... Mas a falta de tempo e a idade, vai nos fazendo ser cada vez mais seletivos.

Os COXINHAS são os que estão por dentro de tudo, eles ficam sabendo de coisas que estão no pré-pensamento, eu desconfio! Eles é que me atualizam das notícias, das quais morrem de medo de opinar.

Por que ser tão medíocre? E eles dão as desculpas mais esfarrapadas possíveis pela sua atuação apolítica: "Adorei a sua crônica, queria tanto escrever como vc escreve, mas eu não comentei nada porque não gosto de me envolver em discussões em facebook" ou tipo assim: "gostei do que vc escreveu, mas meu facebook é só para postar coisas da família... ou, "eu não tenho facebook, mas li o que vc escreveu pelo face do meu filho"...e por ai vão as desculpas. Alguns são bem cara de pau mesmo: "eu não curti porque estou em cargo, sabe como é?"

Eu fico pensando com os meus botões: há uma DITADURA do que vc pode curtir, do que vc pode escrever, do que vc pode dizer???? Ou seja, HÁ PESSOAS que não são livres? HÁ pessoas que trabalham apenas por causa da bonificação acima do salário e outras apenas pelo salário? HÁ PESSOAS que são apenas números e sentem prazer em ser apenas UM NR? HÁ PESSOAS que só querem o cargo e nada mais além das pompas e o orgulho que ele proporciona? Sinceramente, desconfio que estejamos vivendo em um Estado Laico e Democrático! São todos FANTOCHES? E eu sou fantoche dos COXINHAS, então?

Com todo orgulho posso afirmar que não sou FANTOCHE! Mas se eu tivesse que escolher de quem eu queria ser fantoche, claro que eu escolheria dos COXINHAS. Simplesmente, porque eu sempre vou me compadecer dos menos favorecidos intelectualmente, financeiramente, socialmente...; também porque ser COXINHA é um estado passageiro eu acredito, pois como disse: já fui COXINHA em meu passado não muito distante; e o principal de eu preferir eles, é devido a sua ingenuidade que beira a comicidade e ao drama ao mesmo tempo.

Enfim, que gestão é essa que ainda se enquadra nos padrões da velha-política? Seria medo de atuar, discutir, refletir práticas e ações que estão em desacordo com a população, que se manifesta nos meios de comunicação modernos? Por medo de não saber o que dizer e assim atacam tentando fazer terrorismo com os mais frágeis?

Ainda não vos disseram que o "poder" é EFÊMERO? Que o poder apesar de sua aparência de FORTE, é um cristal que pode ser quebrado DIARIAMENTE. Mas ele pode voltar ao fogo e se tornar uma NOVA TAÇA. Não precisa ter medo da queda, dos cacos, do fogo... O importante é se deixar ser TAÇA novamente, transparente, mas que anseia por um VINHO tinto seco. O poder tem seus PRÓS, mas também tem seus CONTRAS. Tem gente que só quer os PRÓS, mas só existe o PODER e ele só é legitimado quando se tem OPOSIÇÃO.

Mas eu só escrevi tudo isso, porque um certo COXINHA, veio me dizer na semana anterior, por isso que digo que os COXINHAS leem atrás do pensamento, que o VALE ALIMENTAÇÃO será diminuído e agora se tornará um VALE COXINHA, como haviam apelidado no passado.

Oras, posso dizer que acho JUSTO diminuir o valor para aqueles que trabalham menos horas (6h) e que tem o privilégio de poderem economizar e almoçarem em suas casas. Eu não posso, compro marmita ou trago comida para almoçar na escola. É justo um trabalhar 40h e o outro 20h e ambos receberem o mesmo valor em vale-alimentação? Sei lá, não sou juíza, se alguém achar que está sendo lesado, advogados, fóruns, sindicatos...servem e ganham para isso: defender o seu direito.

O que não é honroso, é ficar reclamando pelos corredores da vida, colocar o UNIFORME DE COXINHA e fazer cara de paisagem. Se posicione, discuta, reflita, dialogue...é nesses fóruns de discussões que se encontram as melhores saídas para todos. Pois, a Prefeitura precisa cortar gastos e o servidor precisa comer, cada um vai defender o seu ponto de vista. O que não se pode fazer, é ficar alheio a assuntos tão importantes e que nesse caso não diz respeito a mim, mas manifesto-me pensando num todo. Apesar de achar justo a equiparação de horas trabalhadas, com o valor do vale-alimentação; por outro lado, vem a questão: mesmo eu trabalhando 20h ou trabalhando 40h o valor da marmita, buffet ou kg não diminui. O dono do restaurante não diz assim: "ah, coitado, agora recebeu diminuição de carga horária, está ganhando menos, vou te cobrar a metade também!" E aí?

Serve uma COXINHA COM MAIONESE E COCA-COLA?

Lilian Flores

terça-feira, 26 de agosto de 2014

MARina


Se eu tivesse que pronunciar, fazer separação silábica, escrever, ler... eu faria assim: MARina! Porque cá entre nós, não é qualquer pessoa que tem o glamour e o privilégio de ter em seu nome a palavra MAR.
Eu sou uma pessoa suspeita pra falar dele, afinal, o MAR faz parte da minha existência, desde o ventre até o presente momento. Eu posso dizer que sou uma ILHA cercada de UM MAR!!
UM MAR de pessoas... UMA MAR de irmãos em Cristo (incontáveis); UM MAR de amigos que cultivo desde o meus 4 anos, como a Aline, a  Ivana, Nara, Carmem, Hemilin, Geisa e Gilvana Maia; ou seja, 31 anos de praia! Mas tenho UM MAR de amigos recém-chegados e que vieram pra ficar: como a Katia, Cleo, Geane, Miro, Geovani, Marina, etc, etc, etc,... UM MAR de amigos de profissão e labuta (número indeterminado); UM MAR de paixões platônicas; UM MAR de paixões avassaladoras; UM MAR de amores não correspondidos; UM MAR de desencontros, entre tantos outros MARES.
Mas enfim, a nossa futura presidenta talvez seja MARina Silva, irmã em Cristo, missionária da Igreja Assembleia de Deus, professora e que aos poucos tem conquistado o meu voto e de muitos outros brasileiros. Confesso que tenho receio que se ela ganhar, renuncie alguns meses ou anos depois, porque seria a minha primeira reação se eu tivesse que fazer qualquer coisa que fosse contra aquilo que acredito. Mas ontem, depois de um papo-reto com o meu paxxxtor (Roberto Buriti) depois da palavra ministrada pelo irmão (Alexandre Andrade) e o louvor e testemunho do outro irmão (Tim), refleti sobre tudo e principalmente por assuntos que nem sequer mencionamos, mas que ficaram nas entrelinhas dos nossos desabafos e conselhos.
Com a cabeça recostada em meu travesseiro de penas, fiquei tagarelando com Deus, com os botões da minha camisola, com  meu consciente, com minha memória e claro, com meu travesseiro. Primeiro, percebi que precocemente julguei uma ação que talvez ela não cometa, como renunciar. Num segundo momento, pensei: se ela tem todos os atributos que admiro em um ser humano (sua fé, honestidade, dedicação (a causa ambiental, à política e à educação), inteligência, bravura, simplicidade, humildade, entre outros), por que não votar nela? E por fim, veio a minha memória, que na última eleição, eu  havia votado em MARina.
Lágrimas, dúvidas, vírgulas, exclamações, interrogações, reticências...tudo isso misturado a muita fé de que ela seja o cumprimento do propósito de Deus para a nossa nação! "Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar e se converter dos seus caminhos, eu ouvirei do céu e sararei a sua terra." (2 Cr.7:14)
Que Deus nos abençoe e nos oriente em todo o tempo. Pois, feliz a nação, cujo o Deus é o Senhor!(Sl.33:12)

Lilian Flores

domingo, 24 de agosto de 2014

ELEIÇÕES 2014: PRESIDENTA DE NOVO!!!!




AÉCIO TA MORTO, SÓ ESQUECERAM DE ENTERRAR O DEFUNTO! DESCULPAS AÍ, MAS SÓ DOIDO PRA VOTAR NUM CARA QUE VEM DE UMA FAMÍLIA QUE SEMPRE FORAM OS CORONÉIS DA POLÍTICA DE MINAS, MULHERENGO E QUE NUNCA TRABALHOU, SEMPRE VIVEU ÀS CUSTAS DO SOBRENOME NEVES! SERÁ QUE JA VIMOS ESSE FILME ANTES? (FAMÍLIA BORNAUSEN EM SC, FAMÍLIA SARNEY NO MA, FAMÍLIA CAMPOS EM PE, FAMÍLIA MAGALHÃES NA BA).


DEPOIS DA MORTE DO SANTO, OPS!, DO CAMPOS, TEREMOS 2º TURNO, SIM! MARINA E DILMA NA DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA.
DUAS MULHERES ÍMPARES, EM TERMOS DE LUTAS E IDEAIS, CLARO!

A DIFERENÇA É QUE DILMA FAZ ACONTECER E MARINA SÓ PLANEJA. FICA NO CAMPO DAS IDEAIS. (MARINA foi ministra por 5 anos na época de Lula, quem lembra? O que ela fez? Nada! Além de não fazer NADA, a mulher não deixou ninguém fazer NADA, também!)
LULA CARINHOSAMENTE A EXONEROU, ÓBVIO! MAS, SOLICITOU QUE ELA FIZESSE UMA "CARTINHA DE DESPEDIDA" .


A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: QUEM VENCE? NÃO SEI! VAI SER VOTO À VOTO!!!!

MAS ENTRE UMA AGNÓSTICA CENTRADA E EQUILIBRADA (fria) QUE DIZ E FAZ O QUE PENSA COM TRANSPARÊNCIA... E UMA PENTECOSTAL PERDIDA NO ESPAÇO SIDERAL, OU SEJA, NUM LUGAR ONDE QUALQUER CRISTÃO QUE ESTIVER LÁ, IRÁ SE CORROMPER,(morna); POIS PERGUNTE A ELA SOBRE O CASAMENTO GAY E ABORTO? NESSE MOMENTO, COM CERTEZA FICARÁ EM CIMA DO MURO PARA AGRADAR GREGOS E TROIANOS. PREFIRO A FRIA!!!! POIS COMO ESCREVEU JOÃO EM APOCALÍPSE: "Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Ap.3:15-16"

E SE FOR ELEITA, ALGO BEM PROVÁVEL, DESCULPA AÍ... MAS A MULHER VAI FAZER QUE NEM CAPITÃO NASCIMENTO: VAI PEDIR PRA SAIR!!!!! PORQUE OU ELA SE JUNTA AOS DESMANDES DAQUELES QUE ESTÃO NA OUTRA PONTA DO PODER E PASSA POR CIMA DE SEUS PRINCÍPIOS CRISTÃOS OU ELA SE CORROMPE PRA NÃO PERDER O PODER QUE TANTO ENVAIDECE E ASSOBERBA AS PESSOAS DE UM MODO GERAL.
COMO MARINA É UMA PESSOA SIMPLES E COM TODA CERTEZA ELA NÃO É TODO MUNDO!!!! PORTANTO, ACREDITO QUE O PODER NÃO RELUZ COMO OURO PRA ELA, COMO RELUZ A OUTRAS PESSOAS. SEM REMORSO ALGUM, ELA PEDIRÁ PARA SAIR E AINDA FICARÁ COMO MÁRTIR DA HONESTIDADE!!!!

AÍ MORA O GRANDE PERIGO! QUEM SERÁ O PRESIDENTE? O VICE ALBULQUERQUE, CLARO! UM CATÓLICO ULTRA-LIBERAL QUE TEM UM DISCURSO PROGRESSISTA-CAPITALISTA,  NUM PARTIDO DISFARÇADO DE SOCIALISTA. VAI SER LINDO DE VER ELE GOVERNANDO O NOSSO PAÍS! MAIS PERDIDO QUE CEGO EM TIROTEIO.
ESSAS ELEIÇÕES SERÃO DE TIRAR O SONO DE MUITOS CABIDES DE EMPREGO!!!

Lilian Flores

terça-feira, 22 de julho de 2014

CADÊ A ESQUERDA?

Num passado remoto, São Chico tinha o PT como esquerda, mas eles hoje estão no poder, mas sem poder...tipo assim: sem tinta na caneta, compreenderam?
Aí a ultra direita QUATROCENTONA de São Chico, a chamada dobradinha(PMDB+PSDB) mas que carinhosamente eu batizo de buchada de bode; tornaram-se a esquerda. Que lindo!!! Foi um circo...sabe como é, "sempre estive no poder, saí dele, mas ele nunca saiu de mim?" Mais ou menos era esse o quadro. .

O tempo passou e os QUATROCENTÕES que sempre foram na cola do PT nos 4 primeiros anos, denunciando, alfinetando, metendo o dedo na ferida, etc e tal...estavam bem encouraçados. Mas aí o mundo é dos "espertos" e na reeleição, o PT de esquerda, vestiu os trajes de direita e agora se assenta entre os "príncipes"! (risos)
Nessa virada, os QUATROCENTÕES ficaram a ver navios de novo! A única saída: Vestir as roupas da esquerda e aí, salve-se quem puder!!!! Eles vendem o corpo e alma para conseguir um carguinho pro filho ou pra mãe, ou pro filha-da-mãe!!! A ordem dos tratores não altera o viaduto ou a ordem dos fatores não altera o produto.
E agora minha gente só temos DIREITA em São Chico!!!! Todo mundo no poder, mas sem poder... mas quem diz que eles querem poder? Alguns querem, mas sem querer querendo...Outros querem mesmo é $$$$ que o poder lhes proporciona; já outros com baixa alto estima querem os puxa-sacos de plantão: elogiando o cabelo, a unha, o terno, o vestido, o sapato...; os mais desinibidos querem as luzes, câmeras, plateia e um palco pra dar aquele sorriso amarelo e fingir que são felizes; mas tem aqueles que chamamos de Queridinhos da América, ops! Queridinhos de São Chico City: os intelectuais com carreira inabalável que estão no poder para florear, colorir, dar vida ao pântano da política ditatorial que se estabeleceu aqui.
É uma coisa linda de se ver e de se viver!!!! Todo mundo fingindo que está tudo bem!!!!!!! O DÉCIMO não saiu e mais de 4mil funcionários reclamando nos bastidores, amaldiçoando o prefeito e os funcionários do RH até a décima geração; mas tudo entre dentes, nos cochichos, no chat do face que ninguém fica sabendo, em casa a 4 paredes, no banco Itaú com o cx. eletrônico, com a guarda que já está a postos pra detectar funcionário da prefeitura e mandar voltar a porta giratória: ‪#‎odécimonãosaiu‬!!! Enfim, sempre se encontra um ombro e um ouvido amigo pra falar das lamúrias de umas férias sem décimo!
Mas o importante é que está tudo bem, se reclamar, além de ficar sem décimo fica sem os 60% ou 80% de gratificação em cima do salário. Já pensou??? Nunca! Jamais! Grita o subconsciente dos cabides. Ou seja, a casa cai!
Nessas últimas semanas, tem um quadro bem pintado na cidade, onde a direita QUATROCENTONA com roupinhas humildes de esquerda, estão em plena euforia interior! Mas é claro que esse interior que não é nada límpido, deixa transparecer tudo: olhares, gestos, frases soltas, de repente reina-se um silêncio quase coletivo. É coisa linda esse amor genuíno! Só de imaginar que pode rolar um carguinho $$$$ na sub, da sub, da sub gerência de lá vai bolinha, tem JENTE que nem vai viajar nas férias só esperando um telefonema, que não é de um grande amor; tem outras JENTES que nem curte e muito menos faz comentários no face com medo que "alguém que interessa" leia e aí já viu, o sonho de cinderela e cinderelo vai para o espaço... e a abóbora tem que virar carruagem de qualquer jeito!!! (GARGALHADAS)
Eu tenho um nojo tão grande disso tudo, que estou a ponto de vomitar-te, hipócritas de plantão!
Lilian Flores

domingo, 20 de julho de 2014

Menu de hoje: O Palhaço


Acabaram de perguntar uma sugestão de filme. Esse é um tipo de pergunta que eu amo responder. Amooooooooo!!!!! Qual a resposta?
O PALHAÇO "O Rato come queijo, o gato bebe leite e eu sou palhaço!" Essa frase é tudo e mais um pouco...

Hoje eu responderia isso, amanhã não sei... Esse filme combina com o dia de hoje, ensolarado! Ele é divertido, porém não te faz rir às gargalhadas. Serão risadas comedidas, mas que te farão refletir sobre mil coisas!!!!!!
Primeiramente, sobre a existência no sentido vocação. Quem nunca teve uma crise vocacional??? Eu mesma, antes de ter a certeza absoluta que nasci para ensinar meus pupilos a escrever, ler, encenar, recitar, declamar... Queria ter sido advogada (quero ainda fazer direito, mas apenas para uso próprio), pois é umas das facu mais úteis que já vi; porém, queria ter sido turismóloga também, até fiz dois anos de Turismo e Hotelaria, mas percebi que ser turista é bem mais agradável; também quis ser Marqueteira e fui por 365 dias na McDonald's Coorporation, mas trabalhava demais, corpo e mente cansados todos os dias, não dá! Ser professora cansa a mente, mas em compensação o corpo está sempre pronto para o outro dia.

Enfim, tive minha crise vocacional e mesmo depois de totalmente decidida, feliz e realizada (claro, que isso não inclui o salário); tive uma outra crise vocacional, em 2011. Havia sido convocada para dar aula a uma determinada turma, que chamavam de Projeto Piloto. Pela primeira vez na minha vida profissional (11 anos de magistério ou sacerdócio); fiquei tentada a desistir de pilotar essa carreira. Pedi pra sair! Negaram! Ainda bem, pois não teria essa história em meu portfólio profissional. Fiz concurso federal, passei em 25º entre 190 aprovados no Brasil, mas nunca me chamaram!!!! Tudo bem, nem queria mesmo (mentira!)
O importante é que sobrevivi aquele ano, juntamente com meus colegas de profissão, que sabem muito bem o que estou falando. ( Karine Wolff, Elaine Cristine, Mariangela Mattar, Carol, Fernanda Fernandes Cidral, Márcio João Silva Márcio Silva entre outros.) Essa turma ficará marcada para sempre em nossas memórias, pelo menos na minha.
Além do filme questionar escolhas profissionais e também amorosas, ele dá aquela sensação de que você nunca mais o esquecerá e o melhor de tudo, é que você nunca mais será o mesmo depois do filme. De repente, você perceberá que fazer escolhas é uma faca de dois gumes e que é extremamente humano errar! Todavia, o arrepender-se é melhor ainda, é uma sensação de gozo e choro ao mesmo tempo. Uma perfeita contradição, onde o circo é o templo do riso e das gargalhadas. O Palhaço é um filme moderno, que fala sobre uma temática épica, onde as lágrimas não são visíveis a olho nu; e ter um documento de identidade não é uma necessidade de sobrevivência, mas de afirmação: eu existo!
Lilian Flores


quinta-feira, 17 de julho de 2014

TANGENTE

Ele sempre sai pela tangente e eu finjo que fujo(celular no silencioso)! Fico admirada comigo mesma e nem me reconheço... tão pouco reconheço esse it que habita dentro de mim.
Depois dessa filosofia de botequim, regada a vinho tinto seco, provavelmente por medo ou sei-lá-o-quê... Sumirá por mais 2 longos torpedos, ou talvez 5, ou talvez 7 que sempre é seu recorde. Mas, esperançosamente espero, que não seja nenhum desses números. Amo quando chega a 10.
Ele consegue se
r mais detalhista que eu, ainda bem! Hoje eu prefiro tudo o que não é sucinto e abreviado. Pois breve, já é o dia que diz ter 24h, mas parece 12h.
Eu queria inverter as horas, inventar dias, aumentar os meses, duplicar as estações, multiplicar os fins de semana e subtrair as segundas-feiras.
Mas nada adiantaria, se tu não existes e eu, sou apenas o reflexo de uma imagem que ecoa num poço artesiano.








Lilian Flores

sexta-feira, 11 de julho de 2014

SEMPRE

Sempre é um talvez.
Sempre é um amanhã que não chegou ainda.
Sempre é a esperança fantasiada de futuro.
Sempre é um passado que insiste em ser presente, sempre.
Sempre é um presente que não quer se despedir, nunca!
Sempre é até agora.
Sempre é você depois de amanhã.
Sempre é você ontem e hoje.
Sempre é um desconhecido que desaparece na neblina, como se fosse fantasma.
Sempre é existir até a meia-noite.
Sempre é existir nas 24horas.
Sempre é o sapo que não virará príncipe.
Sempre é um príncipe com alma de sapo.
Sempre é a música camuflada de silêncio.
Sempre é adormecer no sonho de alguém.
Sempre é sonhar acordada.
Sempre é uma noite bem dormida.
Sempre é um até logo.
Sempre é um continuar continuamente.
Sempre é desistir para esperar.
Sempre é esperar para não desistir de esperar, jamais!
Sempre é um nunca que deseja não existir.
Sempre é um jamais que chegou cedo.
Sempre é um êxtase, implorando até o final.
Sempre é um orgasmo de mil e uma noites.
Sempre é um eterno.
Sempre é um início que deseja ser um final...
Pra todo o sempre!
Amém!


quarta-feira, 9 de julho de 2014

Pão e Circo no país do futebol!

PÃO E CIRCO NO PAÍS DO FUTEBOL
(Crônica quentinha saindo do forno das minhas ideias - inspiración viviente!)

Futebol é um esporte bom e que faz muito bem para o físico! E para algumas mulheres como eu, para os olhos também. Aliás, pouco entendo de regras etc e tal, mas torcer para que a bola balance na rede do time adversário, é tudo o que todos querem quando estão assistindo uma partida de futebol. Principalmente, se estamos falando de Copa do Mundo. Além é claro, de um olhar atencioso aos atributos físicos masculinos, como: os tórax dos jogadores alemães, as abundantes bundas dos nossos brasileiros, o vigor incansável dos times africanos, com suas belas madeixas black-power, as pernas torneadas dos italianos e o charme sex appel dos espanhóis, a la Bandeiras!! 

Ontem, foi um dia trágico para alguns muitos brasileiros, pois vimos a rede balançar várias vezes, no entanto, não a nosso favor. Perdemos! E perdemos de feio, há de se assumir. Porém, todavia, entretanto... perdemos ao longo desses 514 anos de história, títulos muito mais importantes que sermos hexacampeões. 

Ou seja, estamos em penúltimo lugar em qualidade de educação; nunca ganhamos um prêmio Nobel de Literatura, ou física, ou medicina, ou química, ou até mesmo da paz...; nossa saúde pública é considerada uma das piores do mundo; além é claro dos transportes públicos, estradas e rodovias, portos, violência, roubo, corrupção, entre outros rankings, da qual nos esquecemos com grande facilidade e só nos lembramos em épocas de eleições, com o único objetivo: utilizar tais informações, gráficos e rankings para alfinetar uns aos outros, de forma democrática. Ou seja, em tempos de redes sociais, as flechas vão para todos os lados!!!!E de quem é a culpa? 

Como disse, temos 514 anos de história. Há 12 anos a antiga esquerda, o PT, está no poder e os outros 502 anos, sempre esteve uma direita, ultraconservadora que sempre saqueou nosso país, e pior, proibindo quaisquer investigações; e tendo como lema para eleição e reeleição, na boca do povão: ele roubou, mas fez! Tudo mancomunado com uma mídia tão corrupta quanto os próprios políticos. 

Prova disso, são reportagens que só eram veiculadas na revista IstoÉ, desses desmandes eleitoreiros de uma extrema direita que hoje se traveste de paladinos da ética política. No entanto, é importante relembrar alguns fatos, pois, ¹"no início do seu primeiro mandato, em 1995, FHC fincou o marco que mostraria a sua conivência com a corrupção. Ele extinguiu por decreto, a Comissão Especial de Investigação, criada por Itamar Franco e formada por representantes da sociedade civil, que visava combater o desvio de recursos públicos. Em 2001, fustigado pela ameaça de uma CPI da Corrupção, ele criou a Controladoria-Geral da União, mas este órgão se notabilizou exatamente por abafar denúncias" como: a Pasta Rosa, Sudam e Sudene, Sivam, farra do Proer, Juiz Lalau, sem contar as falcatruas nas privatizações da Telebrás e Vale do Rio Doce. E a culpa pelo caos em nosso país, tem um culpado(a) apenas?

Nesse ano de Copa das Copas e de Eleições, se vê de tudo nesse facebook. A mídia enaltecendo o futebol de Neymar Jr., as mulheres como eu, estonteadas pela beleza de Fred, Hulk e Júlio César; a paixão coletiva pelo carismático David Luiz; os pseudos boletos bancários pagos pela Dilma na compra da Copa; entre outras situações cômicas e/ou reflexivas (crônicas). E a culpa pelo Brasil ter perdido a Copa é apenas do marrento Felipão? 

Oras, não estou aqui para meter o pau no Felipão e nem para defender a Dilma. Mas cá entre nós, a moral da história parece que só se satisfaz quando encontramos alguém para Cristo. Alguém para literalmente crucificarmos! Parece brincadeira  de queimar, bater e maltratar o boneco Judas, na tal semana Santa,  feita pelas crianças, mas instigada pelos adultos.

É ingenuidade acharmos que o Felipão é o único culpado, temos uma mídia, patrocinadores entre outros fatores que fazem pressão para que tais jogadores estejam em campo, sem que mereçam. Um exemplo é o colírio do Fred, camisa 9, jogando na posição que Ronaldão jogava e que marcou apenas um gol, num sacrifício danado. Enquanto Ronaldo até ontem, era o jogador que mais marcou gols em Copa do Mundo. Entre outros casos, que vocês leitores podem citar melhor que eu, que sou uma leiga nesse assunto.

Assim também, é hipocrisia dizermos que nosso país está como está por culpa de Dilma e/ou Lula; ou por culpa de FHC e/ou Itamar Franco, Sarney, entre outros (ex)governantes. A corrupção está entranhada no tal jeitinho brasileiro! Enquanto não pararmos para educar nossos filhos e não delegarmos essa atribuição à escola; enquanto ficarmos dando mais ibope  ao futebol, carnaval e novelas que à educação, saúde e cultura; enquanto continuarmos de braços cruzados sem reivindicar nossos direitos; negligenciando nossos deveres: burlando IR, sonegando impostos, trapaceando seguros; comprando diplomas; subornando fiscais e policiais; surrupiando materiais de escritório para o material escolar dos filhos; vendendo o voto por cargos políticos, cestas básicas, bolsa de estudos em escolas particulares, etc... enquanto os brasileiros tiverem orgulho dessas falcatruas, compactuando com tais posturas; enquanto só ficarmos procurando culpados, olhando o cisco no olho do vizinho e esquecendo da trave que existe nos nossos olhos. Não importa quem estiver no poder: ele ou ela, estarão fadados à eterna corrupção!

Mas que possamos nos auto avaliarmos a cada dia, antes de atirarmos as pedras, pois nessa ciranda de partidos e seus políticos, de times e seus jogadores, não existem inocentes, talvez alguns ingênuos. Mas infelizmente, existem brasileiros corruptos e/ou corruptíveis...porém, mesmo assim, eu tenho uma ingênua fé que existam e que hão de existir sempre, os incorruptíveis. Por isso, ainda voto e mesmo perdendo de 7x1, continuarei torcendo pelo meu país, sempre!

Pão e Circo para todos!

Shalom!

Lilian Flores 



¹www.conversaafiada.com.br

Oswaldo Montenegro - Metade


segunda-feira, 23 de junho de 2014

APAIXONADA

APAIXONADA

Hoje, meu pastor, Roberto Buriti, perguntou-me se eu estava APAIXONADA? Eu, rapidamente, respondi que não! Óbvio! Para estar APAIXONADA é preciso estar acompanhada? É preciso pensar em alguém? É preciso...
Em uma fração de segundos, pensei em todas essas alternativas, somando os nãos, resultado final = Não! Mas, vim pra casa e aqui estou pensando ainda na pergunta intrigante e que me pegou de surpresa. Pensando bem nela, totalmente relaxada, vendo postagens no facebook, curtindo e compartilhando informações (in)úteis, sentada, sem salto alto, sem bolsa pesada nos ombros, sem maquiagem, sem brincos e anéis... chego a conclusão que estou apaixonada, SIM!!!!
APAIXONADA pela vida! APAIXONADA pelos meus 35 anos bem vividos. APAIXONADA pelo meu cabelo, que nunca foi tão domesticado e obediente como agora. APAIXONADA pelas minhas unhas, que estão verde-amarelas pra celebrar a copa no Brasil. APAIXONADA pelo meu sorriso, que com a maturidade, ele só acontece quando realmente se faz necessário. APAIXONADA pelo meu olhar que vê a alma e o que está atrás do pensamento. APAIXONADA pelos meus seios, que ainda alimentam minha filha. APAIXONADA pelo meu cérebro, que está mergulhado em projetos de mestrado, leitura, teatro, agricultura familiar, etc... APAIXONADA por essa maré de inspirações que não sei de onde vem. APAIXONADA pela minha fé que me fortalece e me renova a cada manhã. APAIXONADA pela minha intensidade, a qual uso sem medidas em tudo que faço e me dedico... uma palavra desconhecida nessa nova geração tão superficial. Aliás intensidade e superficialidade sempre estiveram em pontos extremos. APAIXONADA por todos os nãos que dou todos os dias. APAIXONADA pelo sim que ainda está por vir... APAIXONADA pela serenidade que anda de mãos dadas com a maturidade nessa minha nova-velha estrada. APAIXONADA pelo mar... Ah! Ele é a extensão da minha alma, que é tão inquieta, profunda, infinita...além do ser humano, o mar pra mim é também uma obra prima da criação. APAIXONADA pelo silêncio que me inspira e devora meus pensamentos profanos. APAIXONADA pelo AMOR que mora longe, mas perto vive. APAIXONADA pelo amanhã que bate à porta. APAIXONADA pelo sábado e pelo domingo, onde posso ser apenas Lilian. APAIXONADA pela minha profissão que ensina àqueles que querem aprender. APAIXONADA pelos meus alunos que acordam todas as Lilian's que vivem dentro de mim. APAIXONADA pela Língua Portuguesa que é a mais perfeita contradição. APAIXONADA pela minha voz tão modulada, que adormece e acorda corações para ouvir as inúmeras histórias, que estão anexadas em meu portfólio mental. APAIXONADA pela primavera-verão que demora uma eternidade pra chegar. E quando chega, parece não querer mais ir embora. APAIXONADA pelo café com leite quente, que esquenta minhas noites frias. APAIXONADA pela minha filha, que além de Deus, é o único amor correspondido até hoje. APAIXONADA por JESUS que além de homem, revolucionário... Ele é Deus! O meu Deus! O único que é APAIXONADO por mim e por ti, ao mesmo tempo, sempre!

Lilian Flores

terça-feira, 17 de junho de 2014

Filha

Você preenche meu tempo, meu espaço, meus dias, minhas noites, meus pensamentos!! Você me faz melhor a cada manhã. Ao teu lado, me sinto também menina, bebê, criança grande, mulher e a melhor MÃE do mundo. Quatro anos que logo, logo se completarão e tudo parece que aconteceu antes de ontem...Amo você mais que o ar que respiro! #obrigadaDeus

Sua Mãe

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Desistir

Não sei se estou certa ou errada...mas quem está certo? As vezes sou tomada por uma vontade imensa de desistir. Continuar ou não continuar? Esperar ou não esperar? Esperar o quê? O que está para acontecer? O acaso? O amanhã? Não quero apostar corrida comigo mesma. É cansativo demais correr. O corpo sua por inteiro...o coração quer sair pela boca... as pernas tremem...e as veias quase saltam da pele... Mas de repente, lá estou eu pronta para o próximo dia e para a próxima corrida. É viciante!  Você não quer, o cansaço vem a memória e junto a ele, as histórias que você já conhece o final. Mas o corpo sempre fala mais alto. Ele tem voz própria e pede: quero mais!
Porém, ficar parada e sentada esperando, esperando, esperando é também desgastante. É um cansaço que cansa a alma. De repente, tudo se desfalece, a inspiração some, a preguiça toma corpo e forma, a esperança adormece, a fé que aparentava inabalável, dança valsas vienenses. E entre um passo e um compasso amanheço disposta novamente a continuar tentando, mesmo que seja só até amanhã...


Lilian Flores

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ausência

Não vou dizer mais nada... tudo o que eu disser não vai adiantar, serão palavras soltas ao vento... Só posso dizer que lamento. Que gostei de verdade de você, das nossas conversas, do seu olhar, do seu jeito, de tudo... mas não sei definir em nome o que somos e quem somos? Sem comunicação é impossível! É um monólogo cansativo, triste, dolorido demais pra minha alma inquieta... Isso não está me fazendo bem. Está me perturbando, me tirando do eixo, da centralidade, da lucidez...É inspirador para escrever, mas horrível de se viver. E entre escrever e viver, opto por viver, sempre! Escrever é apenas minha fuga, ora refúgio, ora um grito, ora minha sina, ora um desabafo, ora uma necessidade, ora um contentamento, ora um orgasmo, ora aleluias... Sou viva demais para sucumbir a vida, pra optar pelo sofrimento e pela dor que são os dois melhores ingredientes pra serem despejados num texto, como estou fazendo agora. Eu quero sempre o sorriso aberto, os pensamentos livres, sempre bem livres, o corpo feito em nós, coração palpitante, olhos brilhantes e um tremor que vem das pernas até o fio dos meus cabelos. E quando sinto que não estou sentindo isso, penso que estou entregue a sepultura, estando ainda viva. Sou alegre demais para me entregar a tristeza profunda do silêncio latente que existe entre nós agora. Será você uma visagem? Um it? Um Eu que não existe? Um homem que deseja apenas perturbar-me da forma mais cruel possível? Pois, sabendo meus pontos fracos em relação a ti, que é o teu silêncio e a tua presença, então resolve, na mais sã consciência, tirar-me de uma só vez, ambas as fraquezas que sempre fizeram de mim, nesse nosso ponto de encontro, uma mulher em êxtase.

Lilian Flores

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Sumiço Repentino

Há uma eternidade de horas sem falar com você.
Há milhas e milhas de estrada que nos separam.
Agora são

                        
Acho que aquele até...
Profetizou um adeus
para uma eternidade
Imediata?
Pra sempre?
 
Mas sempre não é todo dia...
Amém!
 
 
Lilian Flores
 
 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Eis o nó atado entre meu peito e minha garganta. Por quem? Alguém! Talvez um marinheiro, que conhece a maçonaria dos nós. Respiro com dificuldade quando sinto sua presença e conto os segundos de taquicardia pra não morrer na véspera da viagem. Seu silêncio é devorador! Devora as palavras, o sorriso, a alma, os sonhos, o sono, a noite e o dia... Sobra somente o aroma de vinho tinto-seco no ar, misturado com a maresia do mar que nos rodeia. Por horas não fala nada, apenas escuta como se estivesse avaliando a Carta Náutica da próxima viagem. Vai decodificando as informações: Lua Cheia, Maré, Profundidade, Pedras, Bancos de Areia, Faróis, Milhas e por fim a Rota. O nó se aperta cada vez mais...

Lilian Flôres

terça-feira, 6 de maio de 2014

Príncipes

Hoje estou feita em pétalas. Exalo cheiro de lírio e perfumo um pântano onde só habitam sapos. É meia noite, lua nova, outono, céu nublado e todos os príncipes desencantados... ainda bem!?

Lilian Flôres

sexta-feira, 7 de março de 2014

SOMBRA



SOMBRA

Minha assombração,
Sombra de minha'lma,
Fantasma de uma ópera muda....

Sinfonia afinada em dor menor,
toda feita para encantar plateias...
Para sempre!!!!!!

Lilian Flores

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

200 dias letivos?


2 + 2 é igual a 4? Para uma criança pode ser 22. Há quem diga que 2+2 é 5. Seria a matemática totalmente exata? Ou tudo depende do ponto de vista que olhamos? E 1 ponto de vista é visto de apenas 1 ponto. O certo seria ver todos os pontos. Mas a grande questão é: quantos pontos? I-N-F-I-N-I-T-U-D-E!!!!!!

Gente, estou falando de um assunto que não domino e nunca dominei. Matemática e seus números são pra mim um E.t. de Varginha. Mas confesso que admiro aquelas pessoas que calculam com os olhos. Lembro com profundo carinho do professor HÉLIO de matemática da 7ª série, lá do Claurinice ou CVC para os íntimos, que dizia que hipotenusa rimava com o rabo da tartaruga. Como desde aquela época eu já tinha uma queda por poesia, achava aquilo lindo. Eu ficava extasiada e desesperada ao mesmo tempo, com um problema cheio de x e y, onde a resposta tomava conta do quadro todinho. Em matemática eu só era íntima mesmo do número 7, porque essa era minha nota no boletim até o 3º bimestre. Sim, porque no 4ºbimestre, batia aquele espírito natalino e o professor por piedade, me dava 8.

Porém, todavia, entretanto... eu e todos aqueles os professores que pediram para que eu escrevesse uma crônica sobre o 200 dias letivos; gostaríamos de entender a matemática desse cálculo. Pois, todo o ano é a mesma polêmica: "por que vamos parar amanhã, se o Estado parou ontem?" Daí alguém sempre diz: "ontem não, antes de ontem". E a culpa toda é sempre do Ministério Público que se souber que pararam ontem e não hoje... ai, ai, ai!!!

Vamos arregaçar as mangas e calcular nossa jornada letiva. Segundo a física passada, o dia tem 24h, mas segundo pesquisadores pós-modernos, o dia tem apenas 16h. Vixe! Então teríamos que trabalhar mais ainda? Estaríamos devendo? Vocês matemáticos de plantão que calculem o quanto. Ou melhor, esqueçam esse detalhe, afinal já está estabelecido como 24h o dia. Deixamos as sensações para a metafísica.

Há também um cálculo histórico-geográfico, ou seja, temos 200 dias letivos e uma jornada de 800 horas e estamos em uma das piores colocações, penúltimo lugar (39º) em qualidade de educação. A Finlândia que está em 1º lugar no ranking mundial, tem 188 dias letivos e carga horária de 1200 horas aproximadamente. Pois lá, as aulas começam apenas às 8.30h ou 9h e terminam às 15h, ou seja 7h de aula por dia -, o chamado período integral. Uma realidade um tanto utópica, visto a quantidade de escolas que temos para a quantidade de alunos. Precisaria no mínimo do dobro de escolas ou a metade de alunos. Mas como já dizia a Mocidade Independente de Padre Miguel " sonhar não custa nada, quando o sonho é tão real..." Olhando por esse ponto, estamos quites? Ou como diz a minha mãe: "elas por elas!"

Enfim, essa crônica não tem a intensão de achar culpados, mas de juntos buscarmos refletir sobre alternativas possíveis de ofertar um ensino de qualidade para os alunos e uma jornada de trabalho justa para nós professores, onde não teríamos que fazer "hora-extra" ficando após o horário para entregar boletins; reuniões de conselho de classe; entre outras paradas não contabilizadas monetariamente.

Tenho saudades do tempo em que parávamos um dia para entregar os boletins e ao mesmo tempo conversávamos com os pais. Saudades do tempo em os "bons" alunos não pagavam a conta dos "maus", ou seja, aqueles que estudaram o ano inteiro e conseguiram passar direto em todas as 9 disciplinas heroicamente, eram contemplados com umas férias mais longa e merecida. Enquanto os demais, ficavam mais 20 dias estudando, tendo aula de "reforço", para então, fazerem o Exame Final. Sinto profunda saudade da maratona de cursos que tínhamos na Univille, no Centro Eventos, entre outros espaços.

Vamos ver o que nos espera nesse ano de COPA DO MUNDO, do país do futebol, do carnaval e das novelas; quiçá dos livros. "Sonhar não custa nada..."

Lilian Flores