Li

Google+ Followers

segunda-feira, 23 de junho de 2014

APAIXONADA

APAIXONADA

Hoje, meu pastor, Roberto Buriti, perguntou-me se eu estava APAIXONADA? Eu, rapidamente, respondi que não! Óbvio! Para estar APAIXONADA é preciso estar acompanhada? É preciso pensar em alguém? É preciso...
Em uma fração de segundos, pensei em todas essas alternativas, somando os nãos, resultado final = Não! Mas, vim pra casa e aqui estou pensando ainda na pergunta intrigante e que me pegou de surpresa. Pensando bem nela, totalmente relaxada, vendo postagens no facebook, curtindo e compartilhando informações (in)úteis, sentada, sem salto alto, sem bolsa pesada nos ombros, sem maquiagem, sem brincos e anéis... chego a conclusão que estou apaixonada, SIM!!!!
APAIXONADA pela vida! APAIXONADA pelos meus 35 anos bem vividos. APAIXONADA pelo meu cabelo, que nunca foi tão domesticado e obediente como agora. APAIXONADA pelas minhas unhas, que estão verde-amarelas pra celebrar a copa no Brasil. APAIXONADA pelo meu sorriso, que com a maturidade, ele só acontece quando realmente se faz necessário. APAIXONADA pelo meu olhar que vê a alma e o que está atrás do pensamento. APAIXONADA pelos meus seios, que ainda alimentam minha filha. APAIXONADA pelo meu cérebro, que está mergulhado em projetos de mestrado, leitura, teatro, agricultura familiar, etc... APAIXONADA por essa maré de inspirações que não sei de onde vem. APAIXONADA pela minha fé que me fortalece e me renova a cada manhã. APAIXONADA pela minha intensidade, a qual uso sem medidas em tudo que faço e me dedico... uma palavra desconhecida nessa nova geração tão superficial. Aliás intensidade e superficialidade sempre estiveram em pontos extremos. APAIXONADA por todos os nãos que dou todos os dias. APAIXONADA pelo sim que ainda está por vir... APAIXONADA pela serenidade que anda de mãos dadas com a maturidade nessa minha nova-velha estrada. APAIXONADA pelo mar... Ah! Ele é a extensão da minha alma, que é tão inquieta, profunda, infinita...além do ser humano, o mar pra mim é também uma obra prima da criação. APAIXONADA pelo silêncio que me inspira e devora meus pensamentos profanos. APAIXONADA pelo AMOR que mora longe, mas perto vive. APAIXONADA pelo amanhã que bate à porta. APAIXONADA pelo sábado e pelo domingo, onde posso ser apenas Lilian. APAIXONADA pela minha profissão que ensina àqueles que querem aprender. APAIXONADA pelos meus alunos que acordam todas as Lilian's que vivem dentro de mim. APAIXONADA pela Língua Portuguesa que é a mais perfeita contradição. APAIXONADA pela minha voz tão modulada, que adormece e acorda corações para ouvir as inúmeras histórias, que estão anexadas em meu portfólio mental. APAIXONADA pela primavera-verão que demora uma eternidade pra chegar. E quando chega, parece não querer mais ir embora. APAIXONADA pelo café com leite quente, que esquenta minhas noites frias. APAIXONADA pela minha filha, que além de Deus, é o único amor correspondido até hoje. APAIXONADA por JESUS que além de homem, revolucionário... Ele é Deus! O meu Deus! O único que é APAIXONADO por mim e por ti, ao mesmo tempo, sempre!

Lilian Flores

terça-feira, 17 de junho de 2014

Filha

Você preenche meu tempo, meu espaço, meus dias, minhas noites, meus pensamentos!! Você me faz melhor a cada manhã. Ao teu lado, me sinto também menina, bebê, criança grande, mulher e a melhor MÃE do mundo. Quatro anos que logo, logo se completarão e tudo parece que aconteceu antes de ontem...Amo você mais que o ar que respiro! #obrigadaDeus

Sua Mãe

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Desistir

Não sei se estou certa ou errada...mas quem está certo? As vezes sou tomada por uma vontade imensa de desistir. Continuar ou não continuar? Esperar ou não esperar? Esperar o quê? O que está para acontecer? O acaso? O amanhã? Não quero apostar corrida comigo mesma. É cansativo demais correr. O corpo sua por inteiro...o coração quer sair pela boca... as pernas tremem...e as veias quase saltam da pele... Mas de repente, lá estou eu pronta para o próximo dia e para a próxima corrida. É viciante!  Você não quer, o cansaço vem a memória e junto a ele, as histórias que você já conhece o final. Mas o corpo sempre fala mais alto. Ele tem voz própria e pede: quero mais!
Porém, ficar parada e sentada esperando, esperando, esperando é também desgastante. É um cansaço que cansa a alma. De repente, tudo se desfalece, a inspiração some, a preguiça toma corpo e forma, a esperança adormece, a fé que aparentava inabalável, dança valsas vienenses. E entre um passo e um compasso amanheço disposta novamente a continuar tentando, mesmo que seja só até amanhã...


Lilian Flores