Li

Google+ Followers

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Encontro de Passarinhos🐦🐦🕊🕊


Um encontro é sempre uma incógnita. Não sabemos para onde olhamos, o que fazemos e o que dizemos... Sei que sempre desviamos o olhar, porque olhar nos olhos, é entregar-se! E isso é responder sim, sem nem ter ouvido a pergunta.

Mas passarinhos não fazem perguntas. Não questionam. Não falam! Passarinhos foram feitos para voarem em busca de ninho. Em busca de vento. Em busca de sol. Em busca de alimento. Em busca de liberdade. Em busca... Sempre a procura!

Voam livres ou presos em gaiolas. Voam em silêncio. Voam para um dia se encontrarem sozinhos. Ele a procura de asas e ela, a procura de ninho. Ele é pássaro caseiro, voa no quintal, na soleira, da janela até o alpendre. Tem medo de vôos longos. De tardes ensolaradas. De vento forte. De brisa fresca... Precisa de asas que lhe ajudem a voar por outras veredas. Por outras montanhas. Por céus azuis e nuvens infinitas...

Ela tem asas fortes. Voa despreocupadamente entre colinas, entre mares, nos altos penhascos, nas curvas dos caminhos, em rasantes vôos... Voa sem dó e sem piedade. Voa solitária. Ela e seus pensamentos antecipados. Voa a procura de ninho vazio. É preciso saber voar. É preciso voar. Mas também é preciso ter ninho. Ter onde chegar e um lugar para partir. O ninho aninha os pensamentos profanos. Protege os sentimentos nobres. Descansa os desejos agrestes. Liberta os sonhos privados de leite e mel. Mas é preciso descansar e uma hora parar de voar. É preciso se aninhar e também procriar.

O encontro foi marcado muito antes de sabermos que passarinhos foram feitos para passarinhos. Há de se entender sobre vôos, sobre ninhos, sobre céus, sobre paisagens, sobre ventos, sobre amplitude... Só um passarinho entende um outro passarinho. Ele sempre insistiu em outras aves que tem asas, mas não sabem voar. Por isso nunca aprendeu a voar e por não saber voar, acostumou-se em gaiolas fechadas. Porque voar é perigoso. Voar é para os corajosos. Ele é cheio de coragem, mas nasceu voando no jardim e dentro de gaiolas. Mas ela nunca duvidou de seus vôos. Sempre teve certeza que ele tinha asas de passarinho.

Simplesmente, porque sempre acreditou nos vôos, no poder das asas, no poder das alturas... Ser passarinho, é ser um pouco anjo também. Mas ele temia vôos sacrossantos, porque já conhecia o caminho de ida e tinha certeza, que seria caminho sem volta. E ele aprendeu a sempre voltar atrás. Ir e voltar ao ponto de partida. O que há de errado? Nada! Ir e vir é o que os passarinhos sabem fazer. Mas ninguém os entendem. Não se pode voar de qualquer maneira, pra qualquer lugar, com qualquer companhia. Mas é preciso voar...

E conhecer a leveza dos voos. O sabor do vento. O som das ondas. O segredo das noites. As cores das tardes ensolaradas...

É preciso voar sem medo de penhascos. E ter a certeza que só quem tem alma de passarinho entende um pássaro de  verdade. E só vc que ainda não existe, pode entender minha alma livre, mas que anseia por gaiolas abertas.

Lilian Flores
❤❤❤

#Metade #AlmaGemea #PernasDePassarinha 😂😂😂