Li

Google+ Followers

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sobre Pontuações e Sentimentos


PONTO FINAL: enfim, o fim! Assim como todas as outras Pontuações são necessárias e urgentes, o ponto final é o mais urgente de todos. É utilizado para marcar o final ou uma pausa absoluta. Mas que final? Que Pausa absoluta? Isso pra mim é apocalíptico, o milagre que está por vir. Amém!
Pensar no final, obrigatoriamente, nos leva à pensar no início. Lembrar quando tudo começou. O princípio e o fim. O Alfa e o Ômega.  Adão e Jesus. Eu e Deus.
Pausa absoluta é para os fortes;  para os que tem certeza; para os maduros. Para aqueles que conhecem o terreno em que pisam. Para aqueles que sabem, que o fim, é o início de um novo começo. Porque para existir um início, é preciso um ponto final, antes.
Há de se ter coragem. Há de se buscar em Deus às respostas. Há de se pedir a Deus essa ousadia. Porque pela força do braço, não se chega a lugar algum. "Quem intentará contra o braço forte do Senhor?"
O Ponto Final é sinônimo de Ponto de Partida também, pois para encerrarmos uma etapa, logo estamos instintivamente, iniciando outra. Mas é proibido avançar no sinal vermelho. É permitido começar, mas é proibido desobedecer às leis.
Para iniciar um novo parágrafo, é preciso o Ponto Final. Para escrever um novo começo, é preciso escrever o final, antes. Mas quem deve escrever a primeira letra nesse novo início?
Aquele que não tem dúvidas. Aquele que estiver mais maduro. Aquele que tiver mais coragem. Aquele que for mais humilde. Aquele que tem sua fé firmada na rocha, que é Cristo. Aquele que sabe o que sente. Aquele que já deu um primeiro passo, mas não lhe foi permitido continuar a andar, por  precaução! Aquele que tem coragem, mas é cercado de medo - a contradição de sua existência! Aquele que existe, mas que  parece uma miragem.
É permitido fazer uma pausa absoluta, mas é proibido transformar o Ponto em Vírgula ou Ponto e Vírgula.  Absoluto é uma pausa pra sempre, sem volta. Ou se tem certeza, ou não! O que não pode, é criar as próprias regras. É permitido ousar, mas é proibido usar o outro. É permitido se declarar, mas é proibido escrever. Escrever é uma armadilha, em que aquele que escreve, é a própria isca. Mas escrever também  é uma faca de dois gumes, porque as palavras ecoam. Porque as palavras vibram. Porque as palavras tem poder.
Por isso que escrever é para os convictos. Escrever é para os Escribas. Escrever é para os românticos. Escrever é para os sonhadores. Escrever é para os sinceros. Escrever é para quem não tem medo de não ter respostas. É para quem não tem medo de receber não, como resposta. Escrever é para quem não duvida do que sente. Escrever é para quem não tem medo do futuro. Escrever é para quem não tem medo de si mesmo. Por isso te escrevo.
É preciso pausar. É preciso parar definitivamente. É preciso dar start. Mas depois, é preciso recomeçar. É preciso iniciar. É preciso esperar. É preciso precisar do princípio: Deus, Vigília, Louvor, Adoração, Irmãos, Amigos, Igreja, Comunhão, Pão-por-Deus...

Lilian Flores

www.contoscontidos.blogspot.com.br