Li

Google+ Followers

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Amanhã - um poema gramático!

Amanhã - Um poema gramático!

Amanhã é uma metáfora que só os apaixonados entenderão.
Amanhã é um galo que ainda não cantou no pretérito Mais-que-Perfeito.
Amanhã é um Pão-por-Deus sem rima, quase mudo.
Amanhã é o crepúsculo de uma noite que termina em oxítona.
Amanhã é um futuro do presente lacrado e sem destinatário.
Amanhã é um particípio do hoje, eternamente.
Amanhã é um futuro do pretérito no modo subjuntivo.
Amanhã é um advérbio de tempo atemporal.
Amanhã é um adjetivo superlativo em meus sonhos.
Amanhã é um substantivo próprio para meus desejos abstratos e concretos.
Amanhã é um verbo de ação que me imobiliza.
Amanhã é um gerúndio sem infinitivo.
Amanhã é meu pronome possessivo sem demonstrar meu sentimento oblíquo.
Amanhã é um artigo indefinido na lição da vida.
Amanhã é um numeral multiplicativo que precisa ser ordinal.
Amanhã é uma preposição sem posição única de existir.
Amanhã é uma trissílaba separada pela dor do hoje.
Amanhã é uma Comparação incomparável.
Amanhã é uma hipérbole em meus lábios exagerados.
Amanhã é uma vírgula que isola o sujeito oculto do indeterminado.
Amanhã é um predicado que exige um objeto direto.
Amanhã é uma oração sem sujeito, sem querer sua ausência.
Amanhã é uma locução que se une para não existir o ontem.
Amanhã é o silêncio que desejaria gritar SOCORRO para o indicativo.
Amanhã é uma dúvida que corrói os verbos, os adjetivos, os substantivos, as horas, os minutos e os segundos.
Amanhã é o Alfa que não tardará em chegar no futuro do imperativo.
Amanhã é uma oração coordenada que tem sentido completo na fé.
Amanhã é a minha oração subordinada a Deus, que determina o que acontecerá, se Deus quiser!!!

Amém!
Amanhã - Um poema gramático!

Amanhã é uma metáfora que só os apaixonados entenderão.
Amanhã é um galo que ainda não cantou no pretérito Mais-que-Perfeito.
Amanhã é um Pão-por-Deus sem rima, quase mudo.
Amanhã é o crepúsculo de uma noite que termina em oxítona.
Amanhã é um futuro do presente lacrado e sem destinatário.
Amanhã é um particípio do hoje, eternamente.
Amanhã é um futuro do pretérito no modo subjuntivo.
Amanhã é um advérbio de tempo atemporal.
Amanhã é um adjetivo superlativo em meus sonhos.
Amanhã é um substantivo próprio para meus desejos abstratos e concretos.
Amanhã é um verbo de ação que me imobiliza.
Amanhã é um gerúndio sem infinitivo.
Amanhã é meu pronome possessivo sem demonstrar meu sentimento oblíquo.
Amanhã é um artigo indefinido na lição da vida.
Amanhã é um numeral multiplicativo que precisa ser ordinal.
Amanhã é uma preposição sem posição única de existir.
Amanhã é uma trissílaba separada pela dor do hoje.
Amanhã é uma Comparação incomparável.
Amanhã é uma hipérbole em meus lábios exagerados.
Amanhã é uma vírgula que isola o sujeito oculto do indeterminado.
Amanhã é um predicado que exige um objeto direto.
Amanhã é uma oração sem sujeito, sem querer sua ausência.
Amanhã é uma locução que se une para não existir o ontem.
Amanhã é o silêncio que desejaria gritar SOCORRO para o indicativo.
Amanhã é uma dúvida que corrói os verbos, os adjetivos, os substantivos, as horas, os minutos e os segundos.
Amanhã é o Alfa que não tardará em chegar no futuro do imperativo.
Amanhã é uma oração coordenada que tem sentido completo na fé.
Amanhã é a minha oração subordinada a Deus, que determina o que acontecerá, se Deus quiser!!!

Amém!


Lilian Flores